Meu Futuro

Carta do Retirante.


Caro amigo respondo nesta carta as sua perguntas.


Se antes não morrer de fome
termina por mater-me a saudade do sertão.
Maria muito tem feito é rezar.
Enquanto eu trabalho muito até além do pôr-do-sol.
Já a comida não da para mais de meio mês.
Enquanto aqui distante espero dias melhores!


Faz tempo que não tinha notícias suas,
tua carta me deixou um pouco mais aliviado.
Ao que a leitura foi interrompida pelo senhorio
que vinha a minha porta cobrar o aluguel atrasado.
Conta esta que a tempos leva meu sono embora.


Enquanto aqui distante espero dias melhores!
Me alimento das esperanças quando falta o alimento.
Minha esperança é como a semente que ai plantavamos.
No solo seco, sob a mão do senhor sol abrazador.
Assim deixa em meu rosto o tempo, as suas marcas.
Enquanto espero uma chuva para trazer o verde de volta.


Nosso futuro permanece obscuro,
já e eu, cada vez mais a passar noites em claro.
A minha querida mãe peço que nenhuma palavra digas,
pois nego-lhe tal fardo, tal verdade que me envergonha.


Escrevi a ela a algum tempo uma breve carta.
Tomei o cuidade de falar-lhe da minha saudade dela,
e do meu bem querer por ela,
ao que escondia dela minha cituação.
Espero poupar-lhe de tamanho desgosto.


Sei que não seria este de mim, mas sei,
que se colocaria a pensar se ouvera errado em algo
no pasado em minha educação.
Sei que acabaria por encontrar algo para culpar-se.


Amigo, as lágimas se foram todas e levaram meu sonhos,
de prosperidade deixaram a cólera triste e a fome.
Vivo em uma prissão sem grades,
sinto-me como um inocente a ser condenado por algo horrivel.
Enquanto aqui distante espero por dias melhores!


Peço desculpas se dessabafo a ti meu amigo.
Mas aqui entre estranhos não tenho mais a quem faze-lo.
Queria eu falar-lhe de minha riqueza,
mas desta só a nossa sincera amizade eu possuo.
Fico por aqui com esta e espero que est te enconte em paz.


Enquanto aqui distante espero por dias melhores!
Enquanto aqui distante espero por dias melhores...